sexta-feira, 20 de abril de 2018

Igreja Anglicana em Belém sagra a primeira bispa da América do Sul

 
 
Um importante evento para a Igreja Anglicana no Brasil ocorre em Belém no próximo sábado, 21 de abril. A sagração da reverenda Cônega Marinez Rosa Bassotto, às 18h, na Catedral Anglicana de Santa Maria, em Batista Campos. A reverenda Marinez é a primeira mulher eleita a ser elevada ao episcopado na América do Sul e será a nova bispa da Diocese Anglicana da Amazônia.

segunda-feira, 2 de abril de 2018

MICEA convida para lançamento de livro sobre cultura evangélica na Amazônia

  
Caríssimos/as,

O livro Evangélicos na Amazônia Paraense será lançado no dia 13 de abril de 2018, às 15h, como evento do MICEA  (Movimento, Instituições e Culturas Evangélicas na Amazônia), em parceria com o PPGCR (Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião) da UEPA (Universidade do Estado do Pará).

Teremos, na ocasião, a presença do professor doutor MOISÉS ABDON COPPE, que prefaciou a obra e fará a palestra: "Liberdade e graça na teologia de Rubem Alves".
 
Haverá os lançamentos dos livros que estão no cartaz e do mais recente livro do palestrante. (Faremos sorteio de livros para os presentes ao evento)

Evangélicos na Amazônia Paraense: este livro é resultado das pesquisas do MICEA. Trata-se da apresentação de um panorama muito rico a respeito das expressões religiosas pentecostais e evangélicas tradicionais, bem como daquelas mais recentes, que constituem uma nova e muito relevante postura, fundamentada neste fenômeno contemporâneo tão importante - o pentecostalismo - entre as numerosas e novas igrejas religiosas cristãs.

Serviço 
Data do Lançamento: 13 de abril de 2018, às 15h.
Local: CCSE (Centro de Ciências Sociais e Educação) - UEPA. Sala de defesa dos Mestrados/ Bloco Novo.
Endereço: Av. Djalma Dutra, 156 - Telégrafo. Belém-Pará.

Fonte: MICEA

Em Abril, o Coletivo Di Jeje oferecerá online o curso O Pensamento de Angela Davis: de 1975 aos começo dos anos 2000 (textos inéditos)

Em 2014, o Coletivo Di Jeje aplicou presencialmente a primeira edição do curso O Pensamento de Angela Davis, de lá para cá, foram feitas 15 edições presenciais em vários do Brasil e nos Estados Unidos, e 5 edições on line, com pessoas do Brasil, América Latina e Angola.

Recentemente, a coordenadora do Di Jeje, a Professora Jaque Conceição, esteve nos Estados Unidos, Canadá e Chile, apresentando um artigo sobre o pensamento da Davis e a condição do negro no Brasil, e dessas visitas, resultou a organização do material que dá base a esse curso inédito sobre o pensamento da Angela Davis.

O objetivo do curso, é trazer para os participantes, textos inéditos no Brasil sobre a pesquisadora e intelectual Angela Davis, e avançar nas discussões sobre o trabalho da autora, para além da obra “Mulher, Raça e Classe”, traduzida e publicada no Brasil.

As inscrições já estão abertas, serão oferecidas 33 vagas, o curso acontecerá de forma online na plataforma virtual onde nossos se encontram os nossos cursos. O curso terá início no dia 30 de Abril.

O Di Jeje, têm um método de trabalho, que permite que os participantes possam acessar o curso dentro da sua rotina e disponibilidade. Os cursos ficam disponibilizados numa plataforma virtual, e a participante acessa dentro da sua rotina e disponibilidade de tempo, e realiza as atividades que são leitura de textos, discussões nos fóruns temáticos dentre outras.

Após a compra, em nossa loja, e a confirmação do pagamento a participante receberá em seu email a confirmação de sua inscrição. Os dados de acesso para a plataforma virtual onde estão hospedados os nossos cursos na semana anterior ao início do curso. No ambiente virtual, após o primeiro acesso, a participante tem até 60 dias para concluir as 90 horas do curso.

O curso tem valor de R$78,00 reais. A compra do curso está disponível em nossa loja virtual, aceitamos pagamento por depósito bancário e cartão de crédito (via paypal). Garanta já sua inscrição clicando aqui.


Serviço:

O que: Curso online O Pensamento de Angela Davis: de 1975 aos começo dos anos 2000 (textos inéditos)

Quando: 30 de Abril

Quanto: R$ 78,00

Certificado: 90 horas
 
Garanta já sua inscrição clicando aqui.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Participação do Ramagem no Fórum Social Mundial 2018

 
Desde seu primeiro encontro, em Porto Alegre/RS, em 2001, até o que acaba de acontecer em Salvador/BA, o Fórum Social Mundial (FSM) já conta com 18 realizações, promovendo espaços de debates e diálogos, num movimento de de estímulo à reflexão, mobilizando resistências e propostas de superação dos problemas de exclusão e desigualdade social que o processo de globalização capitalista, com suas dimensões racistas, sexistas e destruidoras do meio ambiente está criando, internacionalmente e no interior dos países (ver Carta de Princípios do FSM).
Salvador é uma cidade que, na expressão de sua cultura e arquitetura, sintetiza muito da diversidade brasileira e dos impactos da colonização na história de nossa nação. As atividades se espalharam pela cidade, mas tendo o os espaços da UFBA e UNEB como referenciais.A marcha de abertura foi do Largo do Campo Grande até a Praça Castro Alves.
 
O Instituto Ramagem inscreveu a "Oficina de diálogo inter-religioso", no Tema 16: Paz e Solidariedade. Decidiu-se integrar a oficina que seria realizada posteriormente no mesmo espaço, a saber, "Espiritualidade kilombola - Diálogo inter-religioso ComPaz", da Comunidade Kilombola Morada da Paz (da cidade de Triunfo/RS). Também decidiu-se realizar a oficina ao ar livre (ver foto em anexo), ficando no gramado de frente da Biblioteca Central. Foi elaborada uma roda de conversa sobre as perspectivas da diversidade religiosa e apresentação da experiência de vivência da Comunidade Kilombola Morada da Paz (Triunfo/RS). Em síntese podemos dizer que devemos:
• RESISTIR: Contra a imposição de uma única verdade religiosa, contra posicionamentos que expressam exclusividades ou superioridade de crenças.
• CRIAR E TRANSFORMAR: Espaços de contato consciente e não fortuito de pessoas com crenças diferentes ou que não creiam na existência de "sagrado" ou "transcendência". Na Comunidade Kilombola Morada da Paz já há está vivência.
• AGENDA: Permanente. A Comunidade Kilombola Morada da Paz irá pra Belém no segundo semestre para desenvolver suas práticas com as comunidades quilombolas do Pará e o Instituto Ramagem dará apoio de contatos e logística.
As mulheres protagonizaram os vários atos de convergência, expressando sua mobilização permanente em defesa dos seus direitos. Na tarde do dia 14 de março, o Ramagem acompanhou a Marcha das Mulheres Negras, que saiu do Largo do Campo Grande e seguiu por toda a Av. Sete de Setembro até a Barra. Mas no final da noite começou a circular nas redes sociais a notícia do cruel e covarde assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista Anderson Gomes, o que levou comoção geral aos participantes do evento. 
 




Já no dia 15 de março, muitos atos em memória de Marielle foram realizados. "Marielle, presente! Hoje e sempre!" ecoou em todos os espaços do Fórum e levou para as ruas de todo o Brasil pessoas indignadas e solidárias às lutas que Marielle representava. Neste dia, o ponto alto foi a Assembleia Mundial em Defesa das Democracias no Estádio de Pituaçu. A manifestação uniu milhares de manifestantes na preocupação com os rumos conservadores vigorando no mundo e a ascensão da extrema direita, além dos seguidos golpes de estado, tingidos de legalidade, na América Latina. E no dia 16 de março, o Ramagem participou do Juventude Negra Debate: Genocídio, política de drogas e estratégias de segurança coletiva, no Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO).
No último dia, 17, o Instituto esteve representado pela coordenadora professora Giovana Ferreira no entrevista coletiva de imprensa da Comitiva Real do Benin, composta pelo rei Daagbo Hounon Owamenou e sua esposa, a rainha Acakapo Kpesi Ko’Ndodo, e do rei de Agouagon, de V. M. Kenoun Gustave Espoir. O interesse é desenvolver laços e levantar informações que subsidiem materiais didáticos de abordagens sobre a cultura africana.
O Fórum é um movimento contínuo, antes da próxima data de encontro, as articulações permanecem. Pois "resistir é criar! resistir é transformar!".

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Um mapa da produção científica do Ensino Religioso no Brasil

http://ipfer.com.br/gper/wp-content/uploads/sites/2/2018/01/LIVRO-PRODUCAO-CIENTIFICA.pdf
 
O mapa da produção científica do Ensino Religioso no Brasil, coordenado pelo o Grupo de Pesquisa Educação e Religião (GPER), constitui-se num importante e inestimável legado para o Ensino Religioso no país, sendo fruto de sua larga e reconhecida experiência na área de Religião e Educação com foco e enfoque no Ensino Religioso.
O mapeamento constitui-se em minuciosa e criteriosa documentação acerca do “estado do conhecimento” da área do Ensino Religioso no Brasil, registrando sob diferentes perspectivas a sua configuração no contexto da atual legislação educacional, sobretudo a partir da Lei 9475/97 que deu nova redação ao Artigo 33 da LDB e seus desdobramentos em termos de sua implementação nos sistemas de ensino, tanto no tocante ao seu amparo legal como também em termos de sua definição curricular com a publicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1997) e de diferentes referenciais curriculares e materiais didáticos daí decorrentes, bem como em termos de formação docente específica por meio da implantação de Cursos de Ciências da Religião com habilitação para o Ensino Religioso.
 
Acesse o livro – LIVRO – PRODUCAO CIENTIFICA


Baixe o livro aqui

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Cartilha “Liberdade Religiosa e Direitos Humanos”

http://www.uff.br/sites/default/files/informes/cartilha_liberdade_religiosa_download.pdf

A Universidade Federal Fluminense, por intermédio da Pró-Reitoria de Extensão e com apoio da Fundação Cultural Palmares, se engajou a partir do ano de 2016 na promoção de ações de combate à intolerância religiosa, nas quais atuam alunos, professores e técnico-administrativos em relação dialógica com segmentos da sociedade civil organizada.

A UFF disponibiliza agora para a sociedade a cartilha “Liberdade Religiosa e Direitos Humanos”, produzida pela equipe que atuou na ação entre 2016 e 2017, com uma tiragem inicial de 1.000 exemplares. Desenvolvida em conjunto com o Centro de Promoção da Liberdade Religiosa & Direitos Humanos (CEPLIR), a cartilha tem como objetivo esclarecer o que é Intolerância Religiosa por meio da contextualização histórica, sociológica e política da formação cultural e étnica brasileira.

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

A XIX edição do curso avançado em estudos étnico-raciais será em Macapá, de 04 a 15 de julho de 2018

A XIX edição do curso avançado em estudos étnico-raciais – Fábrica de Ideias – ocorrerá, pela primeira vez no extremo norte do país, na cidade de Macapá/AP. Trata-se de um novo desafio desse curso avançado, que será possível graças a uma parceria entre Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Estudos Étnicos e Africanos da Universidade Federal da Bahia (Pósafro-UFBA), que já levou o Fábrica de Ideias a Salvador, Rio de Janeiro, São Luís e Lisboa, com o Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd) e o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Fronteira (PPGEF), ambos da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Se associaram a eles nessa empreitada diferentes núcleos de pesquisa dessa universidade (em especial, o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da UNIFAP) e da Universidade Estadual do Amapá, e os já consolidados Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFBA, Programa em Pós-Graduação em Ciências Sociais e o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, ambos da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). A partir da associação desse conjunto de IES do Brasil (UFBAUNIFAP, UEAPUNICAMP), com o apoio da Capes e Governo do Estado do Amapá, a edição 2018 do curso se realizará entre os dias 04 e 15 de julho.